Arquivo Nacional disponibiliza base de dados sobre imigrantes que chegaram ao Rio de Janeiro

1
1730
Montagem do Arquivo Nacional sobre documentos de imigrantes que chegaram ao Brasil. Crédito: Arte/Arquivo Nacional

Projeto foi financiado com recursos do BNDES e deve ajudar na demanda crescente por consultas sobre antepassados

Com colaboração de Bruno Nathansohn
Do Rio de Janeiro (RJ)

O Arquivo Nacional disponibilizou uma base de dados para consulta sobre 1,3 milhão de imigrantes que desembarcaram no Porto do Rio de Janeiro entre 1875 e 1910.

Clique aqui para acessar a base

O usuário pode também ir no menu do site do Arquivo Nacional, acessar “consulta a acervos”, clicar em “outras bases de dados” e “procura entrada de estrangeiros no Porto do Rio de Janeiro”. Nele, você encontrará uma descrição do projeto, manual de utilização e a base de dados. Cerca de 60 pessoas trabalharam na digitalização dos documentos para a ferramenta.

O lançamento da base ocorreu no último dia 26 de abril, por ocasião do Evento “Brasil de Todas as Gentes”, no auditório do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro e foi resultado de um projeto financiado com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Dentre os participantes presentes à mesa, estavam a professora Ismênia de Lima Martins, da Universidade Federal Fluminense (idealizadora e coordenadora do Projeto), o professor Fernando Souza do CEPESE – Porto, Portugal, especialista em mobilidades geográficas, e Ana Silvia Scott da UNICAMP, especialista em movimentos populacionais.

Durante a cerimônia também apresentou-se um vídeo que, além de abordar a imigração para o Brasil utilizando o acervo da instituição, contou com depoimentos de imigrantes e descendentes que escolheram este país como pátria.

Houve também a premiação de importantes especialistas no tema migratório, como os professores ElHajji Mohamed, da Escola de Comunicação da UFRJ e Helion Póvoa Neto, do IPPUR-UFRJ, idealizador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Migratórios (NIEM), dentre outros.

Base de dados de imigrantes do Arquivo Nacional, exibida durante o evento de lançamento.
Crédito: Bruno Nathansohn

Procura crescente

Os documentos disponibilizados ajudam a recompor a trajetória dos imigrantes no país, possibilitando aos brasileiros conhecerem suas origens e solucionar questões concretas, como direitos de cidadania e propriedade, com acesso rápido e fácil à documentação.

Dados do próprio Arquivo Nacional apontam que a consulta a documentos de antepassados, visando procedimentos como obtenção de dupla cidadania de brasileiros que desejam morar no exterior, cresceu 50% em 2016.

O site do Arquivo Nacional traz os passos a serem seguidos para consulta sobre a chegada de antepassados ao Brasil – a nova base é uma das ferramentas disponíveis.

O Arquivo Nacional ressalta, no entanto, que os procedimentos de gestão e de preservação de documentos públicos federais são relativamente recentes. Por isso, há registros que não foram encaminhados ao Arquivo Nacional e/ou se deterioraram parcial ou completamente antes que isto pudesse ser feito. Tenha sempre em mente que o registro do desembarque do imigrante que você procura pode não estar no acervo, já que este não é absoluto.

Em São Paulo, o Museu da Imigração também conta com um sistema de consulta de dados no Arquivo Público de São Paulo sobre imigrantes que passaram pela antiga Hospedaria do Brás entre o final do século XIX e meados do século XX.

Com informações de Agência Brasil, Arquivo Nacional, O Globo e Ministério da Justiça

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. Hallo, ich suche Daten über die Einwanderung meiner Eltern Gisela und Iwan Borkowski im Dezember 1951 in Rio de Janeiro. Sie lebten in Sao Paulo. Mein Vater Iwan Borkowski war Heimatloser aus der Ukraine. Die Auswanderung wurde von der IRO (International Refugee Organisation) finanziert.
    Mit welchem Schiff sind beide angekommen?
    Wie kamen sie nach Sao Paulo?
    Vielleicht können sie mir helfen. Vielen Dank im Voraus.
    Ingrid Grasse, geb. Borkowski

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.