Com ajuda de vaquinha virtual, mostra fotográfica Infância Refugiada vira livro

0
286
Capa do livro Infância Refugiada, de Karine Garcês, que retrata crianças refugiadas palestinas. Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo

Projeto idealizado pela ativista Karine Garcês agora está disponível em formato de livro bilíngue (português e inglês) e tem eventos de lançamento em São Paulo

Por Rodrigo Borges Delfim
Em São Paulo (SP)
Atualizado às 19h02 de 23.set.2019

Depois de estrear em Fortaleza e passar por diferentes cidades brasileiras, a exposição fotográfica Infância Refugiada, ganha o formato de livro, em versão bilíngue (português e inglês).

Idealizada pela ativista cearense Karine Garcês, convertida há 14 anos ao Islamismo, a mostra retrata crianças palestinas que vivem refugiadas no Líbano, Turquia e na Síria. As fotos foram tiradas durante viagens da autora ao Oriente Médio, entre 2014 e 2015, integrando missão da ONG holandesa Al Wafaa Campaign.

Em meio às fotos, textos de apoio abordam aspectos como as definições da ONU para refugiados, a situação das crianças nessas condições e dos campos de refugiados. Em um deles, Karine também faz uma ponte entre o refúgio e o deslocamento gerado pelos longos períodos de seca, que afetam especialmente o povo nordestino.

Quem estiver em São Paulo e região metropolitana nos próximos dias terá diversas oportunidades para conhecer e adquirir o livro – veja mais no serviço ao final do texto.

Exposição Infância Refugiada durante passagem por Fortaleza. Com ajuda de vaquinha virtual, projeto virou livro.
Crédito: Divulgação

Viabilização do projeto

Para transformar a mostra no livro “Infância Refugiada – Retratos de um Conflito”, Karine contou com recursos do governo estadual do Ceará, complementado por uma campanha de crowdfunding lançada por ela no começo deste ano.

O programa Agentes de Leitura, da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, recebeu 20% da tiragem total do livro, com o objetivo de promover a circulação do livro no interior do Estado.  Também serão doados exemplares para o Instituto Estadual de Surdos do Ceará, com a proposta de trabalhar a percepção da imagem em crianças e adolescentes surdas.

Depois de itinerar pelo Brasil, exposição fotográfica Infância Refugiada virou livro.
Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo

“Esta publicação compreende a força da imagem enquanto fonte de estímulo e memória histórica neste assunto delicado e perturbante, bem como na relevância de propagá-lo. Inovador pela circunstância que o envolve e pelo desafio enfrentado pela fotógrafa no registro das imagens”, explica Karine.

Além do Infância Refugiada, ela é idealizadora de outro projeto, o Muslimah, que fala sobre a religião muçulmana em escolas públicas, com o objetivo de promover diálogo e desconstruir estereótipos em geral associados ao Islã.

Eventos com o livro Infância Refugiada em SP
25/09, às 19h – restaurante Al Janiah: Rua Rui Barbosa, 269, Bela Vista
27/09, às 15h – Museu da Imigração: Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Mooca
28/09, às 16h – Matilha Cultural: Rua Rêgo Freitas, 542, República
30/09, às 18h – Universidade Metodista de São Paulo – Edfício Capa, campus Rudge Ramos: Rua Planalto, 106, Rudge Ramos, São Bernardo do Campo (SP)
02/10, às 19h – Faculdade de Direito da USP: Largo São Francisco, 95, Centro (evento em parceria com o grupo de extensão universitária ProMigra)

Valor do livro: R$ 59,90

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.