Da Síria ao Paraguai, passando pelo Congo: mais uma volta ao mundo em um dia em São Paulo

0
391
Feira das Feiras: Imigrantes foi uma das atrações culturais do "domingo migrante" em São Paulo. Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo

Conhecer uma penca de países sem precisar sair de São Paulo. Basta um pouquinho de mente aberta, pesquisa e disposição para essa tarefa. E o último domingo (15) foi particularmente rico para quem curte e valoriza essa diversidade na cidade.

Foram pelo menos três grandes eventos acontecendo ao mesmo tempo – sem contar feiras e outras atividades permanentes ou com uma periodicidade definida. O MigraMundo esteve presente em um deles e traz informações sobre o que rolou nos outros dois.

Feira das Feiras: Imigrantes

Organizada pela Skol Music, a segunda edição da Feira das Feiras teve “Imigrantes” como tema e promoveu um giro por três continentes no espaço do Mirante 9 de Julho, atrás do Masp (Museu de Arte de São Paulo).

Para isso, contou com a parceria do Australia Now e do Migraflix, negócio social focado em empoderar imigrantes economicamente e culturalmente. O evento contou com stands de culinária e de artesanato da Síria, Marrocos, República Democrática do Congo, França e Senegal.

Quer saber como foi? Basta dar uma olhada abaixo, no vídeo feito pelo MigraMundo a partir do Snapchat (usuário migraoficial)

Dia das Mães e festa de 205 anos da Independência do Paraguai

Para os paraguaios que vivem em São Paulo, o domingo foi de grande festa, por lembrar ao mesmo tempo os 205 anos da Independência do Paraguai e o Dia das Mães. Uma relação que tem todo um significado especial, já que as mulheres e mães paraguaias são responsáveis diretas pela herança cultural do país e também atuaram na defesa e reconstrução do país após a guerra contra a Tríplice Aliança (aqui no Brasil chamada simplesmente de Guerra do Paraguai).

A festa dupla foi organizada pela Coordenação Paraguaia da Pastoral do Migrante e aconteceu na Igreja Nossa Senhora da Paz, local de referência para imigrantes e comunidades de diversas nacionalidades que vivem em São Paulo.

Auditório da Igreja da Paz ficou lotado para a Festa da Independência do Paraguai e do Dia das Mães. Crédito: Leo Ramirez
Auditório da Igreja da Paz ficou lotado para a Festa da Independência do Paraguai e do Dia das Mães.
Crédito: Leo Ramirez

 

Quebrando as barreiras culturais com grupos de imigrantes e refugiados

Já na zona sul da cidade, mais exatamente no bairro do Jabaquara, aconteceu uma maratona de 12 horas de programação cultural promovida pela GRIST (Grupo de Refugiados e Imigrantes Sem Teto). O evento ocorreu no Centro Cultural Jabaquara e contou ainda com apoios da Coordenação de Políticas para Migrantes (CPMig) da Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo, do CRAI (Centro de Referência e Acolhida para Imigrantes), MSTC (Movimento Sem Teto do Centro) e da Associação Raso da Catarina.

Na programação estavam grupos culturais da República Democrática do Congo, Haiti, Togo e Bolívia, além de debates e artesanato e exposições artísticas. Teve ainda espaço para dois grupos de samba brasileiros. Tudo isso para, como o nome do próprio evento propõe, quebrar barreiras culturais entre imigrantes (de qualquer nacionalidade e situação migratória) e brasileiros.

Centro Cultural Jabaquara também recebeu evento com imigrantes e refugiados. Crédito: Karla Portes
Centro Cultural Jabaquara também recebeu evento com imigrantes e refugiados.
Crédito: Karla Portes

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.