Em cinco idiomas, programa contra trabalho escravo lança campanha para enfrentamento ao Covid-19

Objetivo da campanha do programa "Escravo, nem pensar!" é informar comunidades, principalmente as de imigrantes, para que possam se proteger da Covid-19 da melhor forma possível

0
171
Oficina de costura trabalho escravo
Setor têxtil é um dos que registra casos de trabalho análogo à escravidão no Brasil. (Foto: EBC)

Em meio à pandemia do Covid-19, o programa educacional “Escravo, nem pensar!” (ENP), da Repórter Brasil, lançou a campanha “ENP! contra o corona”. Ele tem como objetivo informar a população sobre os riscos da doença e sobre o acesso aos programas sociais e serviços úteis nesse momento.

O material informativo sobre o novo coronavírus aborda o aspecto sanitário do vírus, formas de acesso ao auxílio emergencial, formas de registrar denúncias de violência doméstica e trabalho escravo e programas de alimentação das redes de Educação de São Paulo.

Todos materiais estão disponíveis em francês, espanhol, inglês, crioulo e português, para download gratuito por meio do site oficial do programa (escravonempensar.org.br/contraocorona).

De acordo com Natália Suzuki, coordenadora do programa educacional Escravo, nem pensar!, da Repórter Brasil, o objetivo da campanha é informar comunidades, principalmente as de imigrantes, para que possam se proteger da melhor forma possível nesse momento difícil.

“Por isso, preparamos materiais informativos em cinco línguas — português, espanhol, francês, inglês e crioulo haitiano — sobre a Covid-19, mas também sobre serviços básicos disponíveis à população. Constatamos que há programas, como o auxílio emergencial, que podem ajudá-los a enfrentar o período de pandemia, mas nem sempre os caminhos para acessá-los estão claros”, explica Suzuki.

Recentemente veio a público que dois bolivianos (em Guarulhos e São Paulo) que viviam e trabalhavam em situação precária em oficinas de costura morreram em razão da doença.

Ainda de acordo com a coordenadora do ENP, o grupo está articulando uma rede de proteção a essas comunidades, formada por órgãos do poder público, especialmente da assistência social, e por entidades da sociedade civil para que o atendimento a elas seja cada vez mais abrangente e qualificado.

Além da divulgação por redes sociais, o material tem sido veiculado pelos grupos de WhatsApp em Estados onde a organização já desenvolveu projetos e junto a parceiros. Também está sendo feita articulação via webconferência e repasse dos materiais para equipamentos da rede municipal de Assistência Social e de Educação de São Paulo.

Novo documentário

Também por meio do programa ENP, a Repórter Brasil lançou na última semana o mini-documentário “Saindo das Sombras”, com apoio da Laudes Foundation.

A produção, que tem 10 minutos, retrata como uma família boliviana no Brasil, que foi vítima de trabalho escravo, conseguiu superar esse passado de traumas e conquistar direitos no país.

Histórico

O “Escravo, nem pensar!” é o primeiro programa nacional de prevenção ao trabalho escravo. Ele atinge 465 municípios de 11 estados das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste.

O programa participa de fóruns de elaboração de políticas públicas de combate ao trabalho escravo e fomenta a articulação entre entidades do poder público e da sociedade civil.


*Venha ser parte do esforço para manter o trabalho do MigraMundo! Conheça nossa campanha de financiamento recorrente e junte-se a nós: https://bit.ly/2MoZrhB

*Que tal receber notícias do MigraMundo diretamente em seu WhatsApp? Basta acessar este link e entrar em nosso grupo de distribuição de conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.