Em SP e em Paris, Ano-Novo Chinês leva multidão às ruas; festividades continuam no domingo

0
464
Dança do dragão é uma das atrações nas comemorações do Ano-Novo Chinês. Crédito: Leo Bella

Por Rodrigo Borges Delfim, de São Paulo
Colaboração de Denise Cogo e Sofia Zanforlin, de Paris

Cerca de 200 mil pessoas passaram pelo bairro da Liberdade, em São Paulo, durante o último final de semana (28 e 29/01) por conta do Ano-Novo Chinês – uma média de 5.000 pessoas por hora. A estimativa é da Associação 21 Tomates Fritos, entidade que reúne quatro ex-presidentes da JCI Brasil-China, idealizadora do evento.

Os chineses relacionam cada novo ano a um dos doze animais que teriam atendido ao chamado de Buda para uma reunião. Apenas doze se apresentaram, e Buda, em agradecimento, os transformou nos signos do Horóscopo Chinês. Neste ano celebrou-se a chegada do Ano do Galo, que de acordo com Astrologia chinesa, deve ser marcado por novas ideias, oportunidades e escolhas decisivas. No entanto, deve-se tomar cuidado com ações precipitadas.

O Ano-Novo Chinês celebrado em São Paulo é a maior festa do tipo no Brasil e uma das maiores fora da China, ajudando a divulgar a cultura chinesa.

Cerca de 200 mil pessoas participaram do Ano-Novo Chinês no bairro da Liberdade, em São Paulo.
Crédito: Leo Bella

“[A festa] É muito importante para difundir a cultura chinesa no Brasil, fazer essa interação entre as diferentes culturas e ter mais proximidade. E também para quebrar os “tabus” em relação à cultura chinesa, que é muito rica e milenar”, opina Kelly Lam, organizadora da festa do último final de semana.

Nas ruas da Liberdade era possível encontrar barracas e food trucks de comida chinesa e de outras comunidades presentes no bairro, além de diversas apresentações culturais e de artes marciais – tanto no palco principal, na Praça da Liberdade, como no meio do público.

Para quem perdeu o evento na Liberdade ou quer repetir a dose, há novas atividades previstas para este domingo (05), a partir das 10h, no Templo Zu Lai, em Cotia, na Grande São Paulo – veja mais informações ao final do texto. O local é uma das grandes referências à China e à cultura do país no Brasil.

De acordo com os organizadores da festa, são cerca de 300 mil chineses vivendo no Brasil, sendo 20 mil apenas na cidade de São Paulo.

“Conexão Paris”

A cidade de Paris foi outra na qual a comunidade chinesa celebrou a chegada do Ano do Galo, mais exatamente no bairro de Marais. Além dos conhecidos dragões chineses, era possível observar a relação entre a comunidade organizadora do evento e os comerciantes chineses locais.

Segundo dados dos organizadores, a associação franco-chinesa do Marrais, Pierre Ducerf, organiza uma lista de comércio cujos donos são chineses, e realizam um desfile pelas ruas do bairro em visita a estes estabelecimentos para desejar boa sorte para o ano que começa.

A celebração é marcada pela dança dos dragões – que são vestidos por jovens franceses de ascendência chinesa, em sua maioria – que e são recebidos pelos comerciantes com comidas que simbolizam fartura e boa sorte.  Alguns comerciantes montam uma mesa com incenso e alimentos para serem consumidos por quem passa. Além disso, os dragões que entraram nos estabelecimentos eram alimentados com folhas de alface.

Ano-Novo Chinês no Templo Zu Lai
Data e hora: 5 de fevereiro, a partir das 10h
Local: Templo Zu Lai – Estrada Fernando Nobre, 1.461 (acesso pelo km 28,5 da rodovia Raposo Tavares) – Cotia (SP)
Informações: (11) 3500-3600 e zulai@templozulai.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.