Fim de semana reúne atividades diversas ligadas ao Dia do Refugiado; programe-se

0
230
Orquestra Mundana Refugi, que é composta por músicos brasileiros, refugiados e imigrantes de diversas partes do mundo. Grupo é parte das atividades promovidas em razão do Dia do Refugiado. (Foto: Divulgação)

Como de costume, o mês de junho concentra uma série de atividades culturais ligadas à temática migratória, em razão do Dia do Refugiado (20).

Apesar da pandemia de coronavírus, os eventos tradicionais nesse período foram adaptados para o ambiente online. Alguns deles já ocorreram ao longo da semana, mas ainda é possível acompanhar uma boa parte das atividades agendadas para os próximos dias.

Entre os promotores e participantes das atividades estão entidades como ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados), Museu da Imigração de São Paulo, Sesc São Paulo, Instituto Adus e Abraço Cultural.

O senão é que algumas atividades ocorrem ao mesmo tempo ou cuja duração pode conflitar com o evento seguinte — ou seja, no final do dia será preciso traçar a própria programação e eleger os eventos de sua preferência.

Sexta, dia 19

16h – Leitura do livro infantil “Amal e a Viagem mais Importante de sua Vida”, da jornalista Carolina Montenegro. Contação de história para crianças brasileiras e imigrantes é promovida pelo ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados) e pelo Sesc São Paulo. Atividade terá transmissão via Instagram, nos canais ACNUR Brasil e Caçando Estórias).

Sábado, dia 20

10h – “Webinar Dia Mundial do Refugiado: acolhida, integração e dignidade humana”, promovido pela Comissão dos Direitos dos Imigrantes e Refugiados da OAB SP. Evento terá participação de diversos atores da sociedade civil e sistema ONU que trabalham diretamente com o tema do refúgio, entre organizações, instituições e entidades públicas e acadêmicas. Contará com a participação da refugiada congolesa Prudence Kalambay. Transmissão via Zoom para quem se inscrever previamente — acesse aqui

12h – também promovida pelo Sesc, a série Crianças #EmCasaComSesc traz uma transmissão ao vivo com a atriz, bailarina e artista-educadora Marina Esteves, na adaptação do espetáculo “Quando eu morrer vou contar tudo a Deus”, do coletivo paulista O Bonde, em que é fundadora e pesquisadora. Baseada em fatos reais, a história conta as aventuras de Abou, um menino africano refugiado que foi encontrado dentro de uma mala, tentando entrar no continente europeu. Via YouTube do Sesc São Paulo.

15h – Seminário “Deslocamentos: refúgio e imigração durante a pandemia”. Promovido pelo Museu da Imigração. Com mediação da Profa. Dra. Rosana Baeninger (IFCH/NEPO-UNICAMP), o encontro contará com a presença do Coordenador do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Estado de São Paulo, Dr. Ricardo Alves; da chefe do escritório do ACNUR de São Paulo, Maria Beatriz Nogueira, e do refugiado da República Democrática do Congo, Porsper Dinganga Sikabaka. Na ocasião, será lançado, ainda, o “Atlas Temático Migrações Internacionais  – Macrometrópole Paulista”. Transmissão pelo canal do Museu no YouTube.

16h –  Bate-papo  “A questão do Refúgio no Contexto da Pandemia”, sobre questões centrais para as pessoas em situação de refúgio no contexto da pandemia de Covid-19 no Brasil, e as projeções para o futuro. Ode debatedores são o jornalista venezuelano Carlos Escalona, Camila Sombra (ACNUR) e Victor Del Vecchio (ProMigra/USP). Transmissão via YouTube do Sesc São Paulo.

19h- Live Juntos #ComOsRefugiados, que contará com a participação de diversos artistas que se apresentarão virtualmente, em solidariedade às pessoas refugiadas. O refugiado sírio Kaysar Dadour será uma das atrações e vai transmitir o evento por meio de suas redes sociais (YouTube e Instagram).

20h às 22h – evento online “É Preciso Integrar”, promovido pelo Instituto Adus, terá diálogo entre os refugiados Anas Obaid (Síria), Leonardo Matumona (República Democrática do Congo) e Eliezka Garcia Soto (Venezuela). A mediação fica por conta dos jornalista Antônio Prata e Patrícia Campos Mello, ambos do jornal Folha de S.Paulo. Nos intervalos haverá apresentações da cantora Maria Rita. A transmissão será pelos canais oficiais do Adus no YouTube e no Facebook.

Domingo, dia 21

15h – “Live de Todos os Povos”, com exibição de documentário sobre a Orquestra Mundana Refugi e um videoclipe com o arranjo para o tema Caravanas, de Chico Buarque, como homenagem às pessoas em situação de refúgio. Transmissão pelo canal do ACNUR Brasil no YouTube.

Segunda, dia 22

16h – Webinar “Impactos sociais e econômicos da Covid-19 para a mobilidade humana”. O seminário online organizado pelo ACNUR conta com a participação de representantes da Universidade de Brasília, Defensoria Pública da União e da Missão Paz para debater e lançar luz sobre os impactos da pandemia global do novo coronavírus em relação às pessoas em deslocamento e deslocadas. Transmissão via Webex, mediante inscrição prévia

17h – “Oficina Cultural — História do Marrocos”, na qual o marroquino Yassine Benfaqyrah contará a história do seu país de origem, em francês (a atividade é indicada para quem já estudou o idioma entre um e dois anos). Atividade é promovida em conjunto pelo Museu da Imigração e pelo Abraço Cultural. Transmissão via aplicativo Zoom e necessita de inscrição, mesmo sendo gratuita — vagas limitadas.


*Venha ser parte do esforço para manter o trabalho do MigraMundo! Conheça nossa campanha de financiamento recorrente e junte-se a nós: https://bit.ly/2MoZrhB

*Que tal receber notícias do MigraMundo diretamente em seu WhatsApp? Basta acessar este link e entrar em nosso grupo de distribuição de conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.