Refugiados em São Paulo também tomam parte e terão sua própria Copa do Mundo

1
203

Eles tiveram de deixar a terra natal por perseguições políticas, étnicas, religiosas ou por conta de conflitos armados. Mas mesmo assim não deixam de querer representar o país de onde vieram. Depois da Copa Gringos, sucesso de crítica é público, agora é a vez da Copa dos Refugiados unir imigrantes de todo o mundo que vivem na capital paulista.

A festa acontece no próximo domingo (29), no Colégio Santa Cruz, em Alto de Pinheiros, zona oeste da capital paulista, das 10h às 19h.

A iniciativa, promovida em conjunto pelas ONGs Adus (Instituto de Reintegração do Refugiado) e Atados (plataforma social que conecta pessoas e organizações diversas), aproveita a proximidade com o Dia Internacional do Refugiado (lembrado todo dia 20 de junho) e o Mundial da Fifa em curso para colocar os holofotes sobre os refugiados e mostrar que eles também podem ser astros como os das seleções de seus países de origem.

Depois da Copa Gringos, agora é a vez da Copa do Mundo dos Refugiados em São Paulo. Crédito: Divulgação
Depois da Copa Gringos, agora é a vez da Copa do Mundo dos Refugiados em São Paulo.
Crédito: Divulgação

Serão oito times com refugiados representando diferentes nacionalidades que, por motivos de guerra e perseguições diversas deixaram suas nações de origem e estão dispostos a começar uma nova vida no Brasil: Camarões, Colômbia, Congo, Costa do Marfim, Haiti, Mali, Nigéria e Síria.

O evento é organizado em parceria entre as ONGs Adus (Instituto de Reintegração dos Refugiados) e Atados. Em 2013, ambas já promoveram uma comemoração à data, com a festa One Love Junino. Dessa vez a ideia chegou ao Atados por meio de um novo projeto, o Gaveta pra Rua, que tem como proposta tirar ideias que estão na gaveta e levá-las para a Rua.

Os recursos para a realização da Copa foram obtidos por meio de financiamento coletivo. Agora elas também buscam voluntários que possam ajudar na Copa, de fotógrafo e juiz a jogadores que possam ajudar a compor as seleções. Um encontro de capacitação será promovido no dia 26 para instruir os interessados.

Embora o Brasil não esteja próximo de nenhum grande foco de geração de refugiados, dados divulgados recentemente pelo Comitê Nacional para Refugiados (Conare) e Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) mostram o crescimento dos pedidos de refúgio recebidos pelo país. Atualmente são cerca de 5.000 pessoas reconhecidas como refugiados vivendo no Brasil, enquanto outras 5.000 já solicitaram refúgio neste ano – o total dos pedidos pode chegar a até 12 mil neste ano, segundo projeção da Acnur.

Alunos e voluntários  em projeto educacional do Adus reunidos com a bandeira do Brasil. Crédito: Divulgação
Alunos e voluntários em projeto educacional do Adus reunidos com a bandeira do Brasil.
Crédito: Divulgação

Com uma realidade que vai ficando cada vez mais próxima e visível na sociedade brasileira, a Copa do Mundo dos Refugiados é um belo momento para conhecer um pouco mais sobre essas pessoas que aqui chegaram e ver o quanto cada uma delas pode e deseja contribuir, seja com habilidades pessoais ou experiências de vida.

Copa do Mundo dos Refugiados

Data e horário: 29 de junho de 2014, das 10h às 19h
Local: Colégio Santa Cruz – Av. Arruda Botelho, 255, Alto de Pinheiros – São Paulo

Capacitação para voluntários: dia 26 de junho, a partir das 19h, na rua Rodésia, 398 (próxima ao metrô Vila Madalena), São Paulo.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.